Adesão ao tratamento

Adesão ao tratamento

A mudança de comportamento do consumidor nos últimos tempos é muito visível. Quando falamos de saúde, este cliente/paciente também se movimentou dentro da matriz de comportamento de compras.

Situações como a pandemia provocada pela COVID-19 aceleraram alguns processos de transformação. Não só no aumento da compra on-line, mas também na forma deste paciente se relacionar com o médico, indústria, varejo e o tratamento de forma geral.

Este paciente tem mais autonomia e informação , participando ativamente da escolha do tratamento indicado pelo médico. Os players do mercado de saúde entendem que mesmo com a prescrição do médico, as pessoas buscam por informações adicionais sobre os produtos: como comprar, como utilizá-los, serviços, apoio nutricional, dicas de exercícios físicos, orientações de saúde e, dependendo do caso, surge a necessidade do acompanhamento de profissionais especializados para auxiliar na administração medicamentos e passar orientações de saúde.

Um Programa de Suporte ao Paciente (PSP) completo entrega o verdadeiro valor do produto.

Para pacientes de doenças crônicas e raras, a adesão é um fator primordial para o sucesso do tratamento. A pandemia da COVID-19 apresenta uma ameaça à estabilidade desta fase da jornada. Entendendo isso, as indústrias farmacêuticas encontraram nos Programas de Suporte ao Paciente uma maneira de consolidar essa adesão.

Um PSP centrado no cuidado e experiência do paciente, precisa oferecer benefícios além dos descontos nas farmácias. Segundo o Gartner Group, 78% dos consumidores afirmam que pagariam mais caro por um produto ou serviço se tivessem experiências memoráveis. E justamente neste momento de pandemia e isolamento social percebeu-se a necessidade de estar mais próximo a este paciente, acompanhando-o e ouvindo quais as suas demandas e necessidades.

Para muitos pacientes, devido ao seu quadro de saúde e o panorama apresentado pela pandemia, ficou praticamente impossível seguir com alguns tratamentos como faziam habitualmente: indo a clínicas, hospitais, laboratórios ou mesmo drogarias, por exemplo. Com isto, as estratégias dos PSPs podem ser a melhor alternativa para se diferenciar dos demais concorrentes por suas inúmeras vantagens, como: possibilidade de atendimentos virtuais, transporte de pacientes para clínicas, infusões domiciliares, atendimento multiprofissional, dentre outras. A Azimute Med manteve o tratamento dos pacientes neste período por meio de estratégias inovadoras e tecnologias eficientes que permitem o monitoramento dos pacientes em seus lares.

Programa de adesão ao tratamento: ouvir, entender e atender.

Os PSPs são ricas fontes de informações para entender melhor o perfil de cada paciente, identificar onde ele se encontra dentro da jornada de tratamento e aproximar-se ainda mais, oferecendo serviços e um atendimento individualizado, colocando-o como fator central dentro desta estrutura.

Na Azimute Med, por meio de metodologias amplamente difundidas (Morisky, Modelo Transteórico, Modelo do Atendimento Ideal, Kubler-Ross), identificamos, de forma individualizada, cada perfil de comportamento dos pacientes contemplados em nossos PSPs. Com estes perfis bem mapeados, conseguimos estruturar abordagens e atendimentos customizados, levando um suporte completo e bem-estar ao paciente.

Juntamente com aplicativos interativos e materiais educativos, prezamos pela melhor experiência do paciente, mantendo-o sempre atento ao tratamento, oferecendo o suporte que ele necessita.

Um paciente em tratamento quer ser ouvido e sentir-se acolhido por quem o trata, mesmo depois da compra na farmácia. Oferecer um atendimento diferenciado, com suporte e apoio integral a este paciente, é o que realmente o encanta e o mantém dentro de um tratamento, contribuindo para uma evolução clínica favorável.

Comments are closed.