Como a Azimute se tornou referência em PSP e PSD

Como a Azimute se tornou referência em PSP e PSD

Na AzimuteMed, a tecnologia caminha a favor do paciente e do profissional de saúde, por isso a empresa investe constantemente em ferramentas de realidade virtual, realidade aumentada e inteligência artificial, chatbot, aplicativos e na videoconferência para orientar sobre correta administração de medicamentos e como aumentar a qualidade de vida do indivíduo. A AzimuteMed desenvolve programas personalizados desenhados de acordo com as necessidades de cada segmento: indústria farmacêutica, empresas, corretoras e operadoras de planos de saúde.

Como o diagnóstico traz muito impacto, é comum o paciente esquecer ou não associar as informações sobre a doença, como utilização e armazenamento dos medicamentos, efeitos colaterais e formas de minimizá-los. “O atendimento ao vivo pela internet é um suporte importante para o tratamento, uma vez que a ferramenta provoca uma aproximação essencial com o indivíduo, possibilitando perceber as dificuldades e orientá-los de forma mais precisa e segura”, explica Luciana Lauretti, CEO da AzimuteMed.

Saiba como a Azimute se tornou a MAIOR empresa de PSP do Brasil

Além da agilidade em solucionar um problema ou descobrir um erro do paciente na aplicação de um medicamento, por exemplo, a visita online pode ser feita em qualquer ambiente como trabalho, casa ou em uma viagem, permitindo também a intervenção de um profissional de saúde de forma menos onerosa para o pagador e meio ambiente.

A videoconferência é personalizada para a operação e atende 100% das exigências regulatórias dos clientes. As orientações respeitam  protocolos e métodos de abordagem. Segundo Luciana, os pacientes aprovam o atendimento online, principalmente, aqueles dos grandes centros, que preferem mais este canal ao presencial. “A ferramenta possibilita ampliar os atendimentos médicos para regiões a milhares de quilômetros de distância, permite inclusive presença e atuação  fora do Brasil”, completa a executiva.

O indivíduo atendido pelos programas da AzimuteMed tem à disposição enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas online para ajudá-lo, de forma didática, a entender mais sobre sua condição e a maneira correta de tomar os medicamentos. A visita virtual é dinâmica, o paciente vê e ouve o profissional e pode ser visto se quiser. Os profissionais de saúde são colocados em um local silencioso e isolado e também usam outros vídeos de referência  para tornar a visita mais interessante e elucidativa.

Telemedicina x Conselho Federal de Medicina

No início de fevereiro, o Conselho Federal de Medicina (CFM) autorizou várias práticas médicas a distância, inclusive a consulta pela internet. Porém, depois de uma série de críticas dos conselhos regionais, que consideraram a resolução um risco para a relação médico-paciente e para a qualidade do atendimento, o CFM voltou atrás e revogou a resolução.

“A alternativa é viável para melhorar o acesso à saúde e o atendimento remoto pode impactar positivamente na saúde do paciente, além de abrir inúmeras possibilidades de redução de custos e aumento de eficiência.  Agora é o momento de estudar, analisar e organizar criteriosamente as contribuições da resolução para melhorar e facilitar a relação do médico e paciente com o apoio da tecnologia”, conclui Luciana Lauretti.

Sobre a AzimuteMed

Fundada em 2010, a empresa atende todo o Brasil, conta com 282 colaboradores e 847 visitadores externos que vão ao encontro dos pacientes sempre que necessário. Sanofi, Novartis, Sul América Saúde e Pfizer são alguns de seus clientes.

A AzimuteMed impacta a vida de mais de 1 milhão de pessoas, que participam de programas personalizados desenvolvidos para dezenas de doenças e condições de saúde. Artrite Psoríasica, Artrite Reumatoide; Diabetes; vários tipos de canceres, Doença de Gaucher; DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica); Esclerose Múltipla; Espondilite Anquilosante; Fibromialgia; Gestação de risco e recém-nascido de alto risco; Hipertensão, Complicações por depósito de ferro e Câncer de pulmão estão entre elas.

O atendimento é feito por profissionais de saúde – educadores, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais e educadores físicos- que se especializam na orientação para cada doença e respectivo tratamento. Os contatos são feitos com base no conceito de atendimento humanizado, com linguagem acessível. Ao ingressar no programa, a primeira conversa é pelo telefone. Em seguida, o paciente poderá receber visitas presenciais ou online (através de videoconferência), e-mails e mensagens de texto via celular.

Programa de suporte ao paciente e diagnóstico
Programa de suporte ao paciente e diagnóstico