Como a teleconsulta pode influenciar o cenário pós-pandemia

Como a teleconsulta pode influenciar o cenário pós-pandemia

Com a chegada da pandemia, todo o mundo precisou mudar e se adaptar. Na medicina não foi diferente. De modo emergencial, foi aprovada a lei nº 13.989 que estabelece o uso da teleconsulta durante a pandemia causada pelo coronavírus.
No mercado público de saúde, disponibilizou-se o TeleSUS, um serviço de atendimento a distância que atende por telefone, chatbot ou aplicativo. Redes particulares de saúde, que já realizavam esse tipo de atendimento, registraram aumento de 1.330% em suas consultas via teleconsulta, indo de 70 para 1000 por dia.

Qual a situação atual do país com a teleconsulta? 

Já é comprovado por meio de estudos que há melhorias significativas na saúde ao ampliar o acesso por meio da teleconsulta. O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) compilou os dados de diversos países mostrando o impacto positivo da tecnologia na saúde.
Para o Brasil, um país tão atrasado tecnologicamente, essa mudança está sendo um grande avanço. Contudo, as instituições, médicos e pacientes ainda precisam se adaptar a essa nova situação para continuar com os tratamentos de modo efetivo.

Como fica a teleconsulta no cenário pós-pandemia?

Especialistas acreditam que o contato direto dos profissionais da saúde com essa modalidade de atendimento, melhorará a percepção de seus benefícios, mesmo os mais resistentes.
A teleconsulta facilita o atendimento a pacientes que moram em áreas remotas, bem como pode ser uma substituição simplificada de uma consulta de retorno, diminuindo os cancelamentos e remarcações. Além disso a longo prazo, essa tecnologia pode ser utilizada em conjunto com a inteligência artificial e análise de dados, facilitando os diagnósticos e encontrando padrões entre os dados.
Investir na teleconsulta também é sinônimo de diminuir custos. Assim, disponibilizar a tecnologia para os pacientes é mais barato do que ter um consultório para atendimento. Isso reduz a locomoção de ambas as partes e diminui os gastos com espaços fixos. Nesse novo cenário, o médico pode alugar um espaço para fazer atendimentos em apenas alguns dias ou horários. Esse local seria utilizado para primeiras consultas ou consultas que demandam um atendimento presencial. Para todos os outros casos, o teleatendimento pode ser suficiente para dar seguimento no tratamento.
Portanto, podemos concluir que o futuro da teleconsulta é promissor mesmo no cenário pós-pandemia. Com o aumento do uso, as tecnologias ficarão cada vez mais otimizadas, garantindo ainda mais a segurança de armazenamento de dados, com o desenvolvimento de funções que garantam diagnósticos cada vez mais rápidos e assertivos. 
A Azimute Med possui uma iniciativa de consultório virtual, saiba mais acessando o nosso site www.atendimentoadistancia.med.br.

Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram