Entenda o que é diabetes e o seu tratamento

Entenda o que é diabetes e o seu tratamento

Diabetes é uma doença crônica não transmissível que tem como característica a elevação da glicose no sangue quando o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente ou quando o corpo não está usando essa substância de forma eficaz.

A insulina é o hormônio que promove e controla a entrada de glicose no sangue para diversas células do organismo. A falta de insulina ou altas taxas de glicose no sangue podem trazer diversas complicações para o coração, artérias, rins e em casos mais graves pode até levar à morte.

Para qualquer tipo de diabetes é preciso tomar medicamentos antidiabéticos que tem como principal função diminuir a glicose. Alguns casos necessitam de aplicação de insulina sintética. O paciente que tem diabetes precisa fazer medição de glicose através de um monitor de glicemia ou bombas de insulina, sendo que os dois tipos de aparelhos devem ser adquiridos sob orientação médica e dependendo de cada tipo de diabetes.

É importante para o paciente controlar a alimentação e manter práticas regulares de exercícios físicos sob orientação de um especialista, dessa forma é possível controlar o açúcar no sangue e regular o metabolismo.

Diabetes tipo 1 e 2

Existem dois tipos de diabetes que são os mais comuns: Tipo 1 e Tipo 2.

Tipo 1: é uma doença auto-imune que ataca as células beta pancreáticas causando destruição das células que produzem a insulina. Assim, a falta de produção de insulina para o sangue faz com que haja um acúmulo de glicose na circulação, o que pode trazer malefícios para vários órgãos, como insuficiência renal, retinopatia ou cetoacidose diabética. Geralmente esse tipo de doença acomete mais crianças e adolescentes.

Tipo 2: esse tipo de doença é a mais comum entre os pacientes e pode surgir quando o organismo não usa de forma eficiente a insulina que está sendo produzindo ou então não fabrica o hormônio suficiente para controlar a glicemia. Geralmente, pode ser tratada com medicamentos orais ou injetáveis.

As causas da doença também podem ser por fatores genéticos, mas os mais comuns atualmente ocorrem por má alimentação ou obesidade. Esse tratamento também exigirá atividade física e mudanças na rotina alimentar, além de uso de insulina e outros medicamentos para o controle glicêmico.

O que o diabetes pode causar?

O diabetes pode causar dois tipos de problemas: microvasculares (complicações que causam danos aos pequenos vasos sanguíneos) e macrovasculares (incluem as doenças cardíacas e o fluxo insuficiente de sangue para as extremidades do corpo, principalmente pernas).

Microvasculares: problema nos olhos como cataratas (que forma uma opacidade no cristalino do olho deixando a visão embaçada), glaucoma (lesão que pode levar à perda das vistas) e retinopatia diabética (lesão nos vasos sanguíneos da retina que podem causar cegueira).

Neuropatia Diabética: é a degeneração progressiva dos nervos do corpo que provoca sensação de queimação, frio ou formigamento nos membros que são afetados.

Problemas no Coração: quando a diabetes não está controlada existe maior risco de desenvolver infarto do miocárdio, hipertensão arterial ou mesmo ter um AVC.

Complicações da diabetes gestacional: as complicações do diabetes gestacional, surge durante a gravidez e para prevenir estas complicações é importante detectar precocemente a doença através da realização de exames dos níveis de açúcar no sangue e na urina.

Como tratar e controlar o diabetes?

O diabetes tipo 1 não tem um meio único de tratamento. Os mecanismos responsáveis por este defeito na células ainda estão sendo estudados e por isso ainda não possuem tratamentos específicos. Mas para manter o controle são usados insulinas e antidiabéticos.

O tratamento de diabetes tipo 2 não é complexo, mas exige muito comprometimento do paciente. Além de mudar o estilo de vida, o que já é bastante desafiador, as pessoas com diabetes tipo 2 precisam ter disciplina na adesão ao tratamento medicamentoso prescrito ao longo de toda a vida.

A escolha do tratamento é feita com base em diferentes fatores, como a idade do paciente, as taxas de glicose no sangue e o quadro geral de saúde do paciente