Dia internacional da luta pela saúde da mulher

Dia internacional da luta pela saúde da mulher

O dia internacional da luta pela saúde da mulher acontece no dia 28 de maio. Tem como objetivo chamar a atenção para a conscientização da sociedade para diversos problemas de saúde na vida das mulheres.

Com o desgaste da dupla jornada de trabalho, junto com a pressão do cenário da pandemia, algumas mulheres optam em postergar seus exames de rotina. 

Exames periódicos são muito importantes na vida da mulher e ajudam na prevenção de doenças como: endometriose, câncer de mama, câncer de colo do útero, mioma uterino, candidíase, corrimentos vaginais, síndrome dos ovários policísticos, vulvite, vaginose bacteriana, obesidade, depressão e principalmente problemas psicológicos.

Hoje em dia alguns portais digitais oferecem suporte gratuito sobre a saúde feminina, como o Médico Responde ou Médico onlineApesar do atendimento ser online, é preciso salientar que ambos os sites não substituem a consulta presencial. Uma novidade é que a partir de maio, o SUS vai oferecer consultas online para pacientes crônicos.

Outro ponto que merece atenção são os casos de feminicídio. Só no estado de São Paulo, a Polícia Militar registrou um aumento de 44,9% no atendimento a mulheres vítimas de violência. O total de socorros prestados passou de 6.775 para 9.817 e os casos de feminicídios subiram de 13 para 19. No Acre houve um crescimento de denúncias via telefone de 2,1% (de 470 casos para 480).  No Rio Grande do Norte o aumento foi de 43,1% nos casos de lesão corporal dolosa (quando há intenção de se ferir) e de 54,3% em casos de ameaças. Já no Mato Grosso os feminicídios quintuplicaram subindo de duas para dez ocorrências por hora.

Não só a violência física, mas a violência psicológica afetam o cuidado da saúde como um todo. Denunciar a violência é essencial para que a mulher receba o apoio necessário para combater esse tipo de situação.

Onde denunciar e encontrar apoio:

Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher

https://www.defensoria.sp.def.br/dpesp/Default.aspx?idPagina=3454

As delegacias especializadas são uma das mais importantes portas de entrada das denúncias de agressão.  A Lei Maria da Penha estabelece que, após o Boletim de Ocorrência (B.O.), o caso seja remetido ao juiz em, no máximo, 48 horas. A Justiça também tem 48 horas para analisar e julgar a concessão das medidas protetivas de urgência. A denúncia de violência doméstica pode ser feita em qualquer delegacia, com o registro de um boletim de ocorrência, ou pela Central de Atendimento à Mulher através do número 180.

Disque 180 – Central de Atendimento à Mulher

https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/politicas-para-mulheres/ligue-180

Outro canal é o Disque-Denúncia, criada pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). A denúncia é anônima e gratuita, disponível 24 horas, em todo o país. Os casos recebidos pela Central são encaminhados ao Ministério Público.

Defensoria Pública

http://g1.globo.com/profissao-reporter/noticia/2012/08/veja-onde-encontrar-atendimento-da-denfensoria-publica-em-9-estados.html

A Defensoria Pública é uma instituição que presta assistência jurídica gratuita às pessoas que não podem pagar um advogado. Qualquer pessoa que receba até três salários mínimos por mês (cerca de R$2862,00) ou possa comprovar que, mesmo recebendo mais, não tem condições de pagar um advogado particular, tem direito de ser atendido. 

Nos casos mais graves, a Defensoria Pública pode auxiliar a vítima pedindo uma medida protetiva a um juiz ou juíza. Estas são medidas de urgência para proteger mulheres vítimas de violência doméstica. Incluem o afastamento do agressor do lar ou local de convivência com a vítima; a fixação de limite mínimo de distância de que o agressor fica proibido de ultrapassar em relação à vítima; a proibição de o agressor entrar em contato com a vítima, seus familiares e testemunhas por qualquer meio; a suspensão da posse ou restrição do porte de armas, se for o caso; a restrição ou suspensão de visitas do agressor aos filhos menores; entre outras.

Polícia Militar – Disque 190

Quando não há uma delegacia especializada para esse atendimento, a vítima pode procurar uma delegacia comum, onde deverá ter prioridade no atendimento ou mesmo pedir ajuda por meio do telefone 190. Nesse caso, uma viatura da Polícia Militar é enviada até o local. Havendo flagrante da ameaça ou agressão, o agressor é levado à delegacia, registra-se a ocorrência, ouve-se a vítima e as testemunhas (se houver). Na audiência de custódia, o juiz decide se ele ficará preso ou será posto em liberdade.

Casas da Mulher Brasileira em Brasília

http://www.mulher.df.gov.br/casa-da-mulher-brasileira-cmb/

Projeto criado para facilitar o acesso das vítimas de violência aos serviços especializados. Lá, funcionam delegacia, juizado, Ministério Público e Defensoria Pública, além de equipes multidisciplinares especializadas em garantir o acolhimento de mulheres em condições de risco e possibilitar que exames e denúncias ocorram sem revitimização.

Telefones: (61) 3226-5024/ (61) 3224-5295

Funcionamento: 8h às 19h de segunda à sexta-feira.

Atendimento Psicológico

https://www.saopaulo.sp.gov.br/ultimas-noticias/cravi-suporte-amplo-e-gratuito-as-mulheres-vitimas-de-violencia/

O Cravi é um órgão ligado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania e conta com uma equipe especializada em suporte psicológico e jurídico para as mulheres vítimas de violência.

Todas as mulheres tem o direito de viver em harmonia com a sociedade. Cabe a todos nós respeitarmos esse direito e apoiarmos essa luta que é constante e diária.

Deixamos o nosso respeito a todas as mulheres do Brasil e do mundo. 

VOCÊS NÃO ESTÃO SOZINHAS.

#JuntasSomosMaisFortes

 

Fonte:

http://www.justificando.com/2018/06/08/violencia-domestica-saiba-onde-e-como-denunciar/

https://economia.uol.com.br/videos/2020/05/12/instituto-maria-da-penha-alerta-sobre-violencia-domestica-em-quarentena.htm

https://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2020-04/sp-violencia-contra-mulher-aumenta-449-durante-pandemia

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-04/sus-oferecera-consulta-virtual-com-foco-em-paciente-cronico

https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46773-postos-de-saude-do-sus-terao-consulta-virtual

https://medicoresponde.com.br/tag/ginecologista/ 

https://medicoonlinegratis.com.br/medicos-especialistas-online

 

Leia também: Trabalhar e cuidar dos filhos: dicas para as mães em home office

Deixe um Comentário:

Your email address will not be published.

Visit Us On FacebookVisit Us On YoutubeVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram