O que hollywood nos ensina sobre doenças crônicas

O que hollywood nos ensina sobre doenças crônicas

Já parou para pensar porque Hollywood  fica localizada no estado da Califórnia e não em outro lugar, e que trata-se de um distrito da grande Los Angeles? Cidade que é referência cultural para muitos nos Estados Unidos.

Ao longo da sua história Hollywood reuniu muitas empresas cinematográficas pois na cidade o sol brilha o ano todo e as paisagens podem ser facilmente adaptadas aos mais variados cenários.

O Cinema Hollywoodiano ficou famoso por suas mega produções, carregadas de efeitos especiais e muito investimento. A cidade é determinante no perfil cultural dos estadunidenses e seus filmes influentes no mundo todo. Sua estética hollywoodiana, dotada de muita ação, cenas rápidas, roteiros diretos e dualidades claras.

Mas com todo esse glamour e influência no mundo, o que Hollywood pode nos ensinar sobre algumas doenças crônicas ou raras?

Estávamos pensando sobre isso quando preparamos uma lista de 3 filmes sobre doenças crônicas e raras que você deve assistir. Não estranhe: a relação de filmes que preparamos trata-se de longas que abordam algumas doenças crônicas e não todas.

Vamos conferir?

1Para sempre Alice

Aí está um filme que ajuda a entender um pouco mais sobre a doença Mal de Alzheimer. Por isso que é considerado uns dos melhores filmes para quem quer entender sobre como a doença afeta as pessoas.

O longa tem Julianne Moore como protagonista e um enredo que mostra a realidade da doença, e convida o público a uma reflexão sobre o assunto. Colocando as dificuldades da sua família e da relação com o marido presente no enredo.

Imagina você de repente, começa aos poucos a esquecer certas palavras e se perder pelas ruas de sua cidade. E descobre que está com uma doença degenerativa que não tem cura. Como que sua família vai lidar de mãos atadas a degradação.

Preste atenção em como o filme traz de uma maneira bem esclarecida sobre uma doença que não tem cura e a importância da família de buscar um tratamento para amenizar as causas.

Enfim,  buscar tratamento em uma clínica especializada e com ajuda dos familiares as coisas podem ser melhores.

2 – Filme 50%

Se você é sensível, se prepare pois esse filme irá causar choro. O filme “50%”, tem uma boa dose de drama mas também de alegria. A história conta sobre um rapaz de 27 anos que não fumava e nem bebia e de repente aparece um tumor, causando revolta para o personagem, mas não se preocupe não é spoiler.

Para piorar sua situação, tem que lidar com as sérias dificuldades que a doença traz e entender o porque isso tudo está acontecendo na sua vida.

Seria uma história até normal e bem comum, mas os produtores e roteiristas acertaram no enredo: Ele mostra o personagem lidando com as dificuldades de ter uma doença sem cura, mas ao mesmo tempo, amigos que ajudam enfrentar essa pedreira com alto astral.

Você deve está se perguntando por que o filme está na nossa lista!!

Esse filme é inspirador e ao mesmo tempo traz um outro lado de como enfrentar a doença e tirar um pouco dos receios e medos. Mesmo em certas ocasiões o enredo mostra que a amizade consegue mudar o contexto.

3 – Adam

Para fechar nossa lista de filmes sobre doenças raras, que tal saber um pouco de uma doença não muito conhecida?

É  esta a proposta do filme “Adam” que mostra um pouco sobre a Síndrome de Asperger, essa síndrome faz parte do espectro autista e é caracterizada por déficits de interação social e comportamentos restritos e estereotipados.

O longa narra a história de Adam (interpretado por Hugh Dancy) e sua vizinha, Beth (Rose Byrne), que junto com eles aprendemos um pouco sobre essa síndrome.

Adam tem um particular interesse em temáticas relativas ao espaço, sendo este um dos assuntos mais falados por ele durante o filme. Possui roupa de astronauta e um planetário dentro de sua casa, além de muito conhecimento sobre o tema, o que o leva a trabalhar em um observatório.

Nessa passagem, preste atenção de como de forma sutil o produtor e roteirista tenta mostrar a síndrome ou quando ele se apaixona pela vizinha, mas ele não tem muito jeito com relacionamentos com pessoa e a forma como ela consegue tratar isso.

Sem falar que quanto mais repertório cultural, mais condições você tem de mostrar que tem boas referências sobre doenças e como lidar com pessoas que a possui.