Vender mais: Expectativas e realidade da indústria farmacêutica

Vender mais: Expectativas e realidade da indústria farmacêutica

A expectativa dos brasileiros por dias melhores movimenta as análises de especialistas em economia, reformas na previdência e em diversos processos políticos já eram esperados para conter a crise econômica no país e retomar o crescimento. Então a população brasileira se sentirá mais otimista e confiante para consumir. Nesse momento é que a indústria farmacêutica deve estar preparada para tirar o melhor proveito desse período que deve ter um aumento exponencial nos próximos meses.

O mercado farmacêutico vem trazendo muita inovação desde 2011 e hoje em dia é considerado o sexto maior mercado do mundo e há expectativas que até 2022 venha se tornar o quinto. Em 2018 houve 11, 8% de crescimento no mercado que é bem acima da média nacional e esse ritmo já vem se mantendo há bastante tempo.

A demanda por medicamentos cresce devido a essencialidade do produto e pela preocupação das pessoas com a saúde, bem-estar, qualidade de vida e estética, influenciando no crescimento da indústria farmacêutica. O aumento da expectativa de vida no Brasil, o maior acesso a medicamentos e tratamentos de saúde fortalece o setor.

Evolução do Mercado Farmacêutico

A indústria farmacêutica impulsiona o varejo do Brasil que conta com mais de 66,5 mil farmácias. O mercado de genéricos também contribui com o crescimento do setor. A venda de medicamentos de baixo custo atinge 26% do mercado brasileiro. São mais de 117 fabricantes de genéricos responsáveis por mais de 3.800 medicamentos registrados.

Esse setor tem apresentado uma importante evolução na saúde, na produção de medicamentos e no mercado farmacêutico do Brasil. Para realizar uma excelente gestão e garantir o bom desempenho da indústria, a liderança precisa ser qualificada para lidar com desafios que se transformam em oportunidades de crescimento.

O futuro da Indústria Farmacêutica

A entrada da inteligência artificial no mercado farmacêutico no Brasil já é uma realidade, uma coisa que na verdade já existe há anos, mas que não funcionava tão bem devido a falta de máquinas capazes de trabalhar com isso. Ao olhar para fora do Brasil, é possível notar que o uso da inteligência artificial já vem acontecendo e vem otimizando a indústria farmacêutica naturalmente, o que acaba impactando todos os canais de distribuição até a ponta da varejista.

Essas transformações tecnológicas irão, cada vez mais, aumentar a produtividade, reduzir o custo de produção, maximizar a segurança para o paciente e reduzir os preços de medicamentos. Isso implica em tecnologias da informação integradas, fábricas conectadas e processos inteligentes.